ATIVO DOMINADOR

CONTO ERÓTICO - CASADO SUBMISSO VIRA EMPREDAGA



  • As madrugadas de sexta pra sábado são dias que os fetiches são libertados de seus armários. Basta algumas doses de álcool e etc  para o tesão invadir mente, corpo e pronto; o desejo se instala sem pedir licença.  O cliente me chamou pra sua casa em Ipanema me informando com a voz de um adultero cheio de tesão  prestes a ser descoberto, que seu marido estava “dormindo” no andar de cima.

    Esse tipo de “corno manso” sabe que é casado com uma piranha que não consegue se satisfizer com um homem só. Por isso me chamou pra virar puta dentro de casa com o marido “dormindo”. Tínhamos que fazer muito silencio pra não acordar o corno. Abriu o rabo já de calcinha e ofereceu sua bunda para meu consolo preto de 27cm grosso.
    Ele gemia o suficiente para não acordar o marido corno. Soltava minha mão pesada na sua cara enquanto o chamava de piranha suja, vadia boqueteira, puta oferecida, cadela no cio, suja , bucetuda larga, pau pequeno e cada vez mais humilhações.

    Disse ele que o marido iria acordar pra trabalhar e ordenei que fôssemos para meu apto. Ele se vestiu de calcinha por baixo.  Entramos no uber a caminho do meu apto, sentamos no banco de traz e me pediu baixo e humildemente que dissesse  ao motorista tudo que fizemos antes e como ele era uma puta suja que chupa qualquer um na rua , que não tem vergonha na cara por ser tão vadia assim. Contei ao motorista que nada disse. Quem cala consente.

    Chegando no meu apto ele deixou na mesa uma quantia em dinheiro bastante generosa equivalente a mais que o dobro do que já tinha pagado no cartão. Várias notas azuis  que pareciam ter acabado de sair da casa da moeda. Dinheiro cash é um estimulante eficiente.

  • Coloquei nele a coleira e o plug anal .Lambia o chão como cadela e de quatro esfregou e limpou todo meu banheiro, o vaso sanitário principalmente. Eu fumava cigarro sentado e dizendo a ele tudo que merecia e implorava ouvir na sua condição de escravo submisso.

    Apesar de ser um homem grande e peludo se comportava como uma cadela vulnerável.  Depois de horas me servindo como empregada obediente foi embora com orgulho do dever cumprido. Mais um cliente satisfeito que volta arrombado pro seu lar.

    OBS -  Quando saí do quarto dele percebi que o marido estava escondido olhando pela fresta da porta do quarto em frente o tempo todo. Queria ter sabido disso antes, Me excitou muito.

ADZSRJ

No comments:

Post a Comment